0 comentários fechados

 

Em 1969, os nordestinos Parafuso, Zé Cacau e Zé Pacheco uniram-se para montar o Trio Luar do Sertão. O grupo, que em 72 passou a se chamar Os Três do Nordeste, foi apadrinhado por ninguém menos que Jackson do Pandeiro, o Rei do Ritmo, como relatado na contra-capa do disco lançado em 1975: “Jackson chegou para Abdias e, com seu jeitão bem paraibano, falou: – Taí, Baixinho. Se tu quiseres ouvir três cabras bons, danados e lançar um elepê, é só me dizer que eu trago eles aqui.”

 

A referência de Jackson foi o empurrão essencial para o crescimento do trio que já tem quase 40 anos de carreira. Ao longo desse período, passou por cinco mudanças de formação. Um dos vocalistas, que ficou 10 anos na função, foi Mestre Zinho. Hoje, Parafuso continua na zabumba e faz os shows ao lado de Deda, vocalista e trianguleiro, e Adriano, sanfoneiro.

 

Os Três do Nordeste são os responsáveis pelo sucesso de clássicos da música brasileira, como É Proibido Cochilar, Por Debaixo dos Panos, Da Boca Pra Fora, Forró do Poeirão, Forró de Tamanco, Homem com H, O Melhor Forró do Mundo, Osso Duro de Roer, Cama Fofinha, Pra Virar Lobisomem e Amor Sobrando. Ao todo, foram mais de 40 discos gravados, todos repletos de canções até hoje reproduzidas por forrozeiros de todos os cantos.

 

Nesta sexta, 27/03, o restaurante Fulô do Sertão recebe uma atração que é a cara do lugar. Os Três do Nordeste chegam lá do sertão para trazer o melhor do forró pé-de-serra para Brasília. A apresentação começa às 20h e o couvert é de R$ 10.

 

Data de publicação: 27/03/2009

 

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias