Os transtornos alimentares – anorexia e bulimia nervosa têm recebido uma atenção crescente nos últimos anos devido ao aumento da incidência e às dificuldades associadas ao tratamento. Os casos estão associados a altos índices de mortalidade, cerca de 15% dos pacientes falecem.

Em matéria exclusiva para o Comer Bem Barato, a nutricionista Juliana S. Moraes descreve bem esses transtornos; o que pode servir para identificação e conseqüentemente a ajuda de casos em família, com amigos e colegas de trabalho.

As complicações metabólicas (inclusive desnutrição), as seqüelas psicológicas (transtornos de ansiedade ou do humor) e o isolamento social estão presentes em todos os casos.

A anorexia nervosa se caracteriza por um jejum espontâneo e auto imposto, por parte da busca incansável por emagrecer e pavor da obesidade.

Com a redução drástica do peso, são observados sinais clássicos de desnutrição, tais como diminuição da taxa de metabolismo basal, baixa pressão sanguínea, hipotermia (temperatura corporal abaixo do normal), diminuição dos batimentos cardíacos, osteoporose, pele seca, cabelos e unhas fracos e quebradiços, queda dos pêlos, obstipação intestinal, desidratação, entre outros.

Já a bulimia nervosa é formada por episódios repetidos de ingestão compulsiva de grandes quantidades de alimentos em períodos curtos de tempo (episódio bulímico), com sensação de perda completa de controle alimentar e esforços para controlar o peso corporal através da provocação de vômitos, anorexígenos, diuréticos ou do abuso de laxantes. Exercícios físicos exagerados também podem fazer parte do quadro. Os pacientes com transtorno alimentar são patologicamente preocupados com peso e foram física, e tem forte desejo de emagrecer, independente do peso que apresentem.

A anorexia nervosa e a bulimia nervosa são 20 vezes mais freqüentes em mulheres que em homens. O início se dá na adolescência ou em adultos jovens. A ocorrência dessas síndromes é reforçada pela mídia em geral que prega a cultura da magreza como ideal de beleza. Existem também evidências de que pacientes com transtornos alimentares têm relacionamentos problemáticos com seus pais e relações conjugais tensas.

As complicações físicas da bulimia incluem irritação da garganta, inflamação do esôfago, lábios rachados e machucados e desgaste dentário. Todas elas relacionadas ao retorno do conteúdo gástrico ácido para a boca. Além disso, são observados vasos sanguíneos rompidos na face, devido à força que o paciente faz para vomitar e calo no dorso da mão, conhecido como Sinal de Russell, devido à indução do vômito com o dedo. A utilização excessiva de laxantes pode causar sangramento retal. Desidratação, problemas nas glândulas salivares, perfurações esofagianas e gástricas também.

Tanto o paciente quanto suas famílias são muito resistentes ao tratamento e é preciso uma grande habilidade dos profissionais para convencê-los.  O tratamento é multiprofissional, envolvendo nutricionistas, médicos e psicoterapeutas a longo prazo.

A psicoterapia deve ser familiar e individual e iniciada o mais breve possível. Com um diagnóstico precoce, a terapia pode mudar o foco do alimento e evitar que a inanição e suas conseqüências graves se desenvolvam.

Por último, a influência da mídia e da imagem corporal de mulheres muito magras como o ideal deverá ser considerada como componente dos distúrbios alimentares. Para a maioria das mulheres, atingir um corpo ideal significa passar fome para chegar a um peso incompatível com suas características biológicas.

Juliana Souza de Moraes

Nutricionista

CRN 1 / 4065

Data de publicação: 10/11/2009

 

3 Comentários para Transtornos alimentares. Saiba mais sobre anorexia e bulimia.

  1. katia Costa disse:

    Adorei a materia! Tive caso na minha familia e ninguem sabia como lidar com esse transtorno…

  2. giovanna disse:

    olá!!!
    me chamo gi.Eu tenho anorexia ha 5 anos hoje eu estou com 23 anos.eu preciso conversar porque meus parentes ficam fazendo piadinha e tambem duvidam que eu tenho anorexia nervosa.forte abraço

  3. claudio cavalera disse:

    tenho uma prima com sérios problemas de alimentação, quero mais informações a respeito do seu trabalho. no aguardo, obrigado.

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias