Perca com o Corpo de 21

Diversas pesquisas, amplamente divulgadas na mídia, sugeriram que o consumo moderado de bebidas alcoólicas poderia proteger o coração das doenças coronárias (angina e infarto). O vinho tinto, em particular, tem outros componentes, além do próprio álcool: flavonóides e outros antioxidantes. Estas substâncias também estão presentes no suco de uva. Elas aumentam o chamado colesterol “bom” (HDL-colesterol) e afinam o sangue (propriedade anticoagulante).

Verdade: O limite considerado seguro é baixo: duas doses diárias para homens e uma para mulheres, pois estas são mais sensíveis aos efeitos do álcool. Cada dose corresponde a uma garrafa de cerveja, um copo de vinho ou uma dose de bebida destilada (uísque, aguardente, vodca, conhaque, etc.).

Não é mito: Antes da desculpa de que um pilequinho é bem melhor que uma série de abdominais, lembre-se de que álcool é perigo à vista. É para beber uma taça só – mesmo porque sua energia desaba com maior quantidade. Álcool além da conta está relacionado ao alcoolismo, pressão alta, obesidade, cirrose, derrame cerebral e a várias outras doenças. Álcool ainda prejudica o equilíbrio, a memória, a coordenação de movimentos, o raciocínio e aumenta o risco de acidentes. Ou seja, em excesso, acontece o inverso: em vez de fazer bem, o álcool pode matar. Se beber, não dirija. Aliás, se beber não faça nada… E aprenda a não se exceder mais. Importante: quem tem triglicérides altos não pode beber nada.

Curiosidades:

O livro The Trusting Heart, de pesquisadores americanos da University of San  Francisco e da Duke University, mostra que os maiores venenos para o coração são o egocentrismo, a hostilidade e o cinismo. Foi a conclusão, depois de nove anos de pesquisas com 13 mil homens, que revelou que, quanto mais os sujeitos usavam as palavras: eu, mim, meu, num bate-papo, maior era a probabilidade de morrer de infarto. Isso porque quem só fala de si mesmo quer tudo, precisa de tudo, não acredita em nada. É o que diz a sabedoria popular: um homem de coração mau. (tirado do livro Salvando o seu coração, do cardiologista americano Dean Ornish).

O respeitado New England Journal of Medicine publicou um estudo com 2.320 homens sobreviventes de infartos – aqueles pacientes que viviam isolados, com poucos amigos, alto grau de estresse, tinham quatro vezes mais chances de morrer por doença cardíaca. Amigos, cachorros, um hobby, qualquer forma de amor vale a pena: pense nisso antes de se fechar para o mundo.

Data de publicação: 12/11/2009

3 Comentários para O vinho tinto faz bem ao coração?

  1. ivonete leme do prado disse:

    adorei esse comentario .

  2. Modismo a parte, tomo minha taça de vinho “demi sec” todos os dias e sinto-me bem. Coincidência ou não uma anemia persistente desapareceu.

  3. Veridiana disse:

    Bom, o que posso dizer a respeito do vinho é que ele sóa me faz bem e sempre que posso bebo um cálice pequeno de vinho e foi radical os efeitos que sinto após ter começado a fazer tipo um ritual, pois a 8 meses tive uma trombose fiquei três meses sem andar fiz tratamento com marevam e depois AAS só que o AAS me deixa sentir umas dores na pernas como se fosse me dar câimbras já o marevam me deixa bem, porem não pode ser tomado sempre é apenas para tratamento e o efeito é rápido caso contrario eu i ria sangrar bastante e ficar cheia de hematomas. Então ouvir falar na TV que o vinho afinava o sangue e pensei: Bom, se o marevam é um anticoagulante e servi para afinar o sangue, então vou beber um pouco de vinho todos os dias pra vê no que vai dar. E foi batata! Lembrando que não é para ingerir em grandes doses se não ira embriagar-se e a intenção não é essa… Devera ser usado como remédio mesmo tipo pequena dose uma vez ao dia!.

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias