0 comentários fechados

Na Confeitaria Romana são utilizados grãos nacionais frescos de alta qualidade para o preparo da tradicional bebida

Essencial para acordar bem, o café nosso de cada dia, aquece as manhãs das famílias e anima reuniões de amigos! A bebida mais consumida pelos brasileiros é tão querida que possui até data comemorativa. Na realidade são duas, 14 de abril é celebrado o dia internacional do café e, em 24 de maio, o dia nacional.

Com a chegada das estações mais amenas e dos dias mais frescos, o cafezinho se torna ainda mais solicitado. Na Confeitaria Romana são utilizados grãos nacionais frescos de alta qualidade (Café Gourmet) que são moídos e comprimidos de forma especifica para que mantenha as características de qualidade. Tradição desde a época em que o Brasil era colônia, a bebida ainda se faz presente e vai muito além do simples café coado ou espresso.

Para quem quiser provar, a Romana oferece: Coffee Shake Romana (sorvete de creme, café, licor de café e chantilly), Café Moka (calda de chocolate, café, espuma de leite e chantilly), Café Irlandês (whisky, café, açúcar mascavo e chantilly, Espuma Café (café espresso, creme de leite e chocolate meio amargo) e Cappuccino Submarino Romana (cappuccino Romana com bordas e lascas de chocolate). E para os mais tradicionais a Confeitaria oferece o  espresso, cappuccino e canelinha.


Hábito de tomar café

O hábito de tomar café foi desenvolvido na cultura árabe. No início, o café era conhecido apenas por suas propriedades estimulantes e a fruta era consumida fresca, sendo utilizada para alimentar e estimular os rebanhos durante viagens. Com o tempo, o café começou a ser macerado e misturado com gordura de animal para facilitar seu consumo durante as viagens.

Em 1000 d.C., os árabes começaram a preparar uma infusão com as frutas, fervendo-as em água. Somente no século XIV, o processo de torrefação foi desenvolvido, e finalmente a bebida adquiriu um aspecto mais parecido com o dos dias atuais. A difusão da bebida no mundo árabe foi bastante rápida. O café passou a fazer parte do dia-a-dia dos árabes sendo que, em 1475, até foi promulgada uma lei permitindo à mulher pedir o divórcio, se o marido fosse incapaz de servir uma quantidade diária da bebida. A admiração pelo café chegou mais tarde à Europa durante a expansão do Império Otomano.

 

Café no Brasil

Trazido às escondidas da Guiana Francesa por volta de 1727, pelo Sargento-Mor Francisco de Mello Palheta, os primeiros grãos de café arábica (produzido em altitudes maiores) fecundaram em terras nacionais a pedido do então governador do Maranhão que conhecia o

grande valor comercial da planta mundo afora e solicitou a Palheta que desse um jeito de trazer uma muda às terras tupiniquins. Em sua trajetória pelo Brasil o café viajou pelo Maranhão, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Minas Gerais.

 

café

Veja todos os endereços da Confeitaria Romana no site: www.confeitariaromana.com.br

Acompanhe a Romana nas redes sociais:

twitter.com/Romana___
facebook.com/Confeitaria-Romana

 

Por: Mayara Veiga

Gargantini Comunicação
Jornalista
mayara@gargantini.com.br
www.gargantini.com.br
(19) 3645-6566

Data de publicação: 10/04/2013

 

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias