0 comentários fechados

Em meio ao burburinho dos bares e do movimento da Rua Joaquim Távora, na Vila Mariana/SP, a ousadia, paixão e dedicação imprimem uma identidade singular ao Bistrô 28, que funde experiências e sensações saborosas.

Aberto há um ano e meio, o Bistrô no início, tinha 28 lugares e por isso acabou sendo batizado de Bistrô 28, hoje, com a demanda de clientes a casa aumentou para 36 lugares. Com conceito de alta gastronomia e bom custo benefício – a casa busca sabor, qualidade e essência. A linha de trabalho é contemporânea, onde existe a união das cozinhas francesa, italiana e brasileira.

Ambiente diminuto e intimista, o local ganha mais aconchego e conforto com a luz baixa e iluminação de velas. A casa é dividida por três espaços, sendo o salão principal interno, o terraço coberto e charmosas mesinhas na calçada. O publico no geral é variado, mas grupos de mulheres e casais são presenças marcantes no bistrô.

Chefiados pelos irmãos e sócios João Ragna e Renato Brunetti – nada sai da cozinha sem passar pelos olhos atentos dos proprietários. João está envolvido com as panelas há 10 anos e antes de abrir o bistrô passou pelas cozinhas do Friccò, Zest, Condessa, Mercearia do Conde, eventos e no norte da Itália no Hotel Bellevue, onde ficou por uma temporada estudando gastronomia e trabalhando.

Embora, Ragna seja especializado em cozinha francesa e italiana – ele sempre gostou muito da gastronomia “verde e amarela” e o projeto do festival de comida da região do norte do Brasil “Garimpos do Bistrô”, foi um desafio que levou quatro meses para acontecer. “Os pratos foram desenvolvidos com base em pesquisa, leitura de livros de comida brasileira, internet e amigos que moram na região norte do país. Esses mesmos amigos nos trouxeram produtos para podermos executar o menu com segurança. Fiquei surpreso com os temperos, ingredientes, doces, frutas e até senti estranheza no paladar em alguns pratos, mas vale a experiência”, conta o chef João Ragna do Bistrô 28.

O objetivo do festival é despertar a curiosidade e proporcionar uma experiência nova e exótica para quem nunca provou da cozinha da Amazônia e Pará. O projeto desse trabalho é também contar um pouco da história pelos pratos da culinária de regiões escolhida pelo Chef Ragna. Nessa primeira edição do festival a proposta é despertar os sentidos aguçando paladares com as iguarias garimpadas cuidadosamente. O Festival “Garimpos do Bistrô” começou no dia 17 de julho e termina no dia 18 de agosto – somente no jantar.

Como porta de entrada para a Belém do Pará – cidade conhecida como uma das maiores capitais gastronômicas do mundo, conta com fortes influências étnicas, principalmente a indígena. Há misturas de histórias, sabores e gastronomia apurada. Frutas e aromas pouco conhecidas agregam à culinária rica e forte com peixes e temperos intensos. No Festival o couvert começa com antepastos amazonenses acompanhado de pão de tapioca R$ 10,00.

De entrada a sugestão foi o surubim defumado ao molho de compota de frutas – R$ 14,50. Prato colorido é a fusão das fatias de peixe delicado com um mix de frutas do norte, que fazem uma combinação equilibrada e saborosa. No prato principal foi a vez do típico Tacacá – sopa com o caldo do tucupi ( líquido extraído da mandioca), camarão, folha de jambu e farofa de uarini como guarnição. Servido numa cuia, a sopa é inusitada. O sabor é persistente no cítrico com nuances adocicadas por conta do tucupi – prato bem aromático, que surpreende. Na versão original do Tacacá os camarões são menores e secos, mas o chef da casa preferiu alterar para camarões um pouco maiores e tenros.

De sobremesa, fomos de Mousse de bacuri com pimenta rosa – R$ 14,00. Consistente, monocromática, doce no equilíbrio e sabor incomum – perfeito para pessoas que gostam de sobremesas poucos açucaradas. Outra opção é a verrine de cupuaçu – R$ 14,00. Leve no sabor e de textura cremosa, o doce da fruta paraense é apetitoso, onde a crocância das castanhas do Pará picadas permeiam a verrine. Se a gula for o seu pecado favorito – a dica é essa.

Pratos incomuns, carregados de cultural regional, sabor exótico, bom preço, simpatia e cordialidade. Voltaremos!

mousse de bacuri

Serviço: Bistrô 28
Rua Joaquim Távora, 1968 – Vila Mariana/ SP
Tel: (11) 5082-3167
www.bistro28.com.br

 

Por Glaucia Balbachan

Fotos: Bruno Pavão
Assistente: Rafael Bezerra
Estúdio Pavão – www.brunopavao.com.br
http://pavaophoto.wordpress.com

Via Guia GPHR

Data de publicação: 26/07/2012

 

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias