É representando o orixá Oxumaré, que o restaurante Pantagruel participa do Festival Comida de Santo, que acontece  até o próximo dia 31, no Recife.

Com a proposta de homenagear a cultura africana presente na nossa culinária, o evento propõe que cada participante escolha um deus africano e crie drinks de boas-vindas, entrada, prato principal e sobremesa com ingredientes que façam referência a ele. E o melhor, tudo isso pelo preço fixo de R$ 45,00.

Inspirado no orixá Oxumaré, que tem como domínios riqueza, vida longa, ciclos e movimentos constantes, o Pantagruel preparou uma caipirinha de melancia com gengibre para recepcionar a clientela. Para entrada, apostou numa lagosta grelhada sobre mousse da terra, preparado com tomate, cenoura, milho e espinafre. Já para o prato principal, a escolha foi o Camarão com Frango, que recebe molho de coco e é servido com purê de batata doce e farofa de dendê. Para fechar com chave de ouro, mousse de figo.

Os pratos do Festival podem ser solicitados tanto no almoço, quanto no jantar. A casa tem capacidade para 30 pessoas na parte interna e 20 na externa, e funciona de terça a sexta-feira para almoço e jantar. No sábado, abre apenas para jantar e, no domingo, para almoço. O Pantagruel fica na Estrada das Ubaias, 356, Casa Forte. Mais informações e reservas: 3442.5563 ou 3269.8377.

Serviço:

Festival Comida de Santo no Pantagruel (Estrada das Ubaias, 356, Casa Forte)
Horário de funcionamento: No domingo, só para almoço
Informações e reservas: 3442.5563 ou 3269.8377.

Fonte: Voga Comunicação Planejada
Renata Castro – 9167.0504

Data de publicação: 26/08/2010

 

2 Comentários para Festival Comida de Santo no Pantagruel

  1. Andreia disse:

    Perfeita a iniciativa do Festival e toda proposta por traz disso, porém fiquei incomodada, como católica, com o nome do festival não referenciar o que é de fato.
    O título “Festival comida de Santo” seria apropriado se os homenagiados fossem realmente Santos… Antônio, Expedito… O que não ocorre no caso, pois Oxum, Ogum… São ENTIDADES, ORIXÁS.
    Tenho minha religião, respeito todas as outras, mas não vamos misturar alhos com bugalhos!!! Tenho certeza que os seguidores do umbandismo também não ficaram satisfeitos com a classificação.

  2. João Paulo disse:

    Caros, em face ao comentário da Andreia, tenho que salientar que no Brasil existe o sincretismo religioso. No sincretismo brasileiro, o catolicismo se mesclou a ritos indígenas, cultos afro-brasileiros e espiritismo kardecista. Não existe aqui um purismo de religião. Há uma relação explícita entre Santos e Orixás. Ex: Iansã protege contra raios e relâmpagos e Santa Bárbara protege contra raios e tempestades. Como as duas trabalham com raios, houve o cruzamento.
    São os reflexos de uma mescla que tem legitimidade social. Não é à toa que no maior país católico do mundo, a passagem do ano é uma festa profana, com brasileiros de todas as origens sociais vestidos de branco, fazendo suas oferendas para Iemanjá.
    ps: sou catolico

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias