0 comentários fechados

Chef Wanderson Medeiros incentiva a fabricação de peças de barro em extinção no interior de Alagoas

Difundir a cozinha do Nordeste no Brasil e no exterior é uma das tarefas do chef Wanderson Medeiros. Desde que assumiu a cozinha do Picuí, em Maceió, valorizar os ingredientes e a cultura regional brasileira faz parte dos projetos de ação do chef e sua equipe. Na busca por fatores locais para atribuir ainda mais personalidade ao Picuí, o chef começou a utilizar tanto na cozinha como no salão as cuscuzeiras de barro. O utensílio rústico e artesanal vem do Quilombo de Muquém, no interior de Alagoas, onde a arte de seu fabrico está se perdendo. Wanderson tem utilizado a cuscuzeira para servir seus pastéis caseiros, encantando quem come no restaurante. Além de aconselhar o cozimento tradicional do cuscuz nela, além de outras receitas que utilizam vapor. “Ela deixa um toque levemente terroso na receita, uma lembrança que remete às primeiras gotas de chuva na terra seca do sertão.”, conta o chef inspirado.

O encontro com Dona Marinalva, moradora antiga do Quilombo de Muquém, em União dos Palmares, cerca de 73km de Maceió, aconteceu acompanhado do chef Guga Rocha durante a produção de seu livro “Um sabor quilombola”, sobre a história da cozinha dos Quilombos. Wanderson se envolveu com os costumes da comunidade local e percebeu em Dona Marinalva o hábito de produzir peças de barro como chaleiras, panelas e cuscuzeiras. A artesã, já idosa, trabalha sozinha, seus filhos não se interessaram pelo trabalho manual e ela é a última de sua família disposta a seguir com a produção. Tocado com a situação, Wanderson começou a comprar toda a produção de D.Marinalva, utilizando as cuscuzeiras no restaurante em Maceió e também vendendo as peças diretamente para os clientes. “Toda a renda que conseguimos comercializando as cuscuzeiras é entregue à D.Marinalva, assim incentivamos que mais pessoas se interessem pelo trabalho dela e comecem a ajudar na produção.”, conta Wanderson.

No intuito de fortalecer ainda mais o resgate das cuscuzeiras de Muquém, Wanderson presenteou chefs renomados no país como Alex Atala e Roberta Sudbrack, que adoraram a surpresa. Após uma repercussão positiva na cozinha dos grandes chefs, a cuscuzeira compôs a apresentação de pratos em eventos como Dalva e Dito Convida e Semana Mesa SP, o maior evento de gastronomia da América Latina. “A intenção maior é mostrar a importância desta arte para a família da Dona Marinalva, pois somente ela sabe produzir as peças de barro. Quero contribuir para a perpetuação dessa arte no Estado”, completa.

Portanto, Wanderson percebeu que poderia fazer mais pela cultura regional de Alagoas. Hoje as cuscuzeiras também estão à venda em casas como o Cordel, em Recife, Mocotó e Dalva e Dito, em São Paulo a R$40, além do Picuí, em Maceió, por R$30 e são boas opções para presentes de Natal. A renda é totalmente revertida para Dona Marinalva. Mais informações (82) 3223-8080.

pasteis

Serviço
Picuí
Telefone: (82) 3223-8080
Endereço: Av. da Paz, 1140 Jaraguá, Maceió/AL
Site: http://picui.com/

 

Por: Gastrô Comunicação

 

Data de publicação: 12/12/2012

 

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias