0 comentários fechados

Expansão do consumo especialmente fora do lar deve ampliar mercados no país mesmo com alta de preços

A ABIC – Associação Brasileira da Indústria do Café – acaba de divulgar sua pesquisa anual sobre as “Tendências de Consumo de Café”, que dentre outras informações aponta que o consumo de café gourmet cresceu 21,3% em 2010. O estudo também revela que o consumo de café fora de casa cresceu 307%, passando de 14% em 2003 para 57% em 2010. Outro dado importante é sobre a intenção dos brasileiros e pagar a mais por um bom café, 45% dos entrevistados disseram ter esta disponibilidade.

Para Rodrigo e Rafael Branco Peres, diretores do Café do Centro – maior torrefadora de grão gourmet e especiais do país – estes resultados demonstram que o café gourmet deixou de ser um produto relacionado apenas à alta gastronomia e cafeterias. “Outros estabelecimentos como postos de gasolina, escritórios, consultórios e pequenos negócios vêm adquirindo o hábito de servir apenas café gourmet, além disso, o consumidor final está cada vez mais ávido por qualidade. Informações sobre a origem do café, como foi colhido, qual a variedade do grão, o sabor, o corpo e o nível de acidez, que antes eram pouco relevantes, se tornaram fundamentais para apoiar a decisão de compra”.

Outro fato relevante é a construção de um novo modo de consumir café gourmet em casa, comprado em estabelecimentos, diferentes dos tradicionais super e hipermercados ou empórios. Começam a aparecer no país novos pontos de venda de gourmet, para serem levados para casa do consumidor, como relatam Rodrigo e Rafael Branco Peres. “Hoje já é possível levar para casa o excelente café gourmet tomado em bons restaurantes, bistrôs, lojas de conveniência e até postos de gasolina, diante dessas possibilidades percebemos que surgem novos pontos de venda, ainda mais próximos do dia a dia dos consumidores”.

ABIC

Apesar da alta nos preços repassada ao consumidor, o público de café gourmet é fiel às marcas e sabe distinguir um produto diferenciado, cujo blend segue padrões de qualidade e não muda com a alta de preços. Os Branco Peres, destacam que “essa noção vem sendo ampliada por conta do aumento do consumo fora de casa, que está em ascensão em todo o país. Hoje já vendemos gourmet em Natal, Amazonas e Recife, praças que há 2 anos não atendíamos”, afirmam os diretores.

O crescimento na venda de café gourmet da torrefadora comprova a ascensão, as vendas foram de 15% em 2006, para 40% do faturamento em 2010, o que representou um total de R$ 30 milhões de reais. Para 2011 a expectativa é crescer 30% e reforçar a presença no interior de São Paulo, Paraná e Nordeste.

Segundo a ABIC o segmento de cafés finos e diferenciados, embora representem ainda a menor parte do consumo geral da bebida, cresce de 15% a 20% ao ano, e está sendo impulsionado principalmente pelas cafeterias e casas de café. Em 2010 o segmento gourmet correspondeu a algo em torno de 4% do mercado, ou 800 mil sacas, com uma participação entre 6% a 7% na receita, o que significa um volume de R$ 380 milhões.

Divulgação: Texto & Imagem Assessoria de Comunicação – Tel: (11) 2146-0909

Data de publicação: 21/06/2011

 

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias