Na primeira edição do concurso na cidade, participantes puderam escolher sucessos do cardápio ou criar receitas para disputar o título de Melhor Boteco de São Paulo

O Comida di Buteco, primeiro e maior concurso de gastronomia de botecos do Brasil, está movimentando 49 bares na capital paulista desde 1º de junho. Como o público é responsável por 50% da votação que elege o Melhor Boteco da cidade, os bares precisam escolher receitas com potencial para cair no gosto do povo. E pela experiência dos participantes, os botequeiros paulistanos são fãs de bolinhos e carnes.

Entre todos os tira-gostos inscritos na competição, 18 são bolinhos – mais de um terço do total. Há receitas tradicionais, como bolinhos de carne, arroz e bacalhau. Mas há também inovações à base de milho, traíra, feijoada e berinjela. Apreciadores de bolinhos podem escolher entre as seguintes opções: Bar Bambu (Berinjela com provolone – Zona Norte), Bar do Justo (Bacalhau – Zona Norte), Bar do Luiz Fernandes (Feijoada – Zona Norte), Bar do Mané (Mortadela – Centro), Bar do Plínio (Traíra – Zona Norte), Bar do Vardemá (Carne – Zona Leste), Bar Zur Halten Mühle (Carne – Zona Sul), Bodega (Milho com mussarela – Zona Norte), Botella (Carne seca – Zona Oeste), Di Primeira (Carne seca – Zona Sul), Flamingo Bar (Carne Seca – Zona Leste), Galeteria do Bacana (Mandioca – Zona Sul), O Alemão (Berinjela – Zona Norte), O Pescador (Carne e Bacalhau – Zona Leste), Pé pra Fora (Frango – Zona Oeste), Pompéia Bar (Porpetta – Zona Oeste), Rota do Acarajé (Mini acarajé – Centro) e Veloso Bar (Arroz com linguiça – Zona Sul).

A segunda categoria mais popular entre os concorrentes, com um terço das opções, são as carnes – de porco, boi ou frango, diversos cortes e modos de preparo. Da picanha ao cupim, passando pela carne seca e costelas, elas chegam à mesa grelhadas, fritas, cozidas, moídas e desfiadas em 17 botecos diferentes. São eles: Amigo Leal (Joelho de porco – Centro), As Meninas (Joelho de porco – Centro), As Mineiras (Linguiça e torresmo – Zona Sul), Bar Birô (Parmegiana a palito – Zona Sul), Bar do Kabeça (Filé mignon – Zona Leste), Petisco Amigo (Pernil – Centro), Cervejaria 366 (Frango e calabresa – Zona Leste), Dona Teresa (Costelinha de porco – Centro), Elídio Bar (Frango à Passarinho – Zona Leste), Esquina Grill do Fuad (Picanha – Centro), Bueno (Barriga de porco – Centro), Jacaré Grill (Mini-hambúrguer de calabresa – Zona Oeste), Leporace (Arais – Zona Sul), Lewis (Pancetta – Zona Oeste), Mercearia ZN (Carne seca – Zona Norte), Mocofava (Carne seca – Zona Norte) e Nação Nordestina (Cupim – Zona Norte).

Bolinhos do Comida di Buteco de São Paulo

Outros estilos de receitas igualmente apetitosas, mas que aparecem com incidência menor, são versões individuais de pratos consagrados, pasteizinhos, canapés, peixes e camarões. A Cervejaria do Alemão (Zona Leste) e O Catarina (Zona Oeste) servem os exemplares de rio e mar: respectivamente, Costelinha de tambaqui e Coquetel de Camarão. Um canapé de linguiça defumada é o trunfo do Bar do Milton (Zona Norte). Pastéis são os carros-chefe da Academia da Gula (Bacalhau – Zona Sul), Bar do Luiz Nozoie (Carne, Queijo ou Camarão – Zona Sul) e Chopp do Alemão (Carne seca – Zona Leste).

Oito bares tradicionais concorrem com mini sucessos de público. É o caso de A Lapinha (Escondidinho – Zona Oeste), Aperitivo Valadares (Cuscuz – Zona Oeste), Amigo Giannotti (Tortinha de pernil – Centro), Bar do Magrão (Escondidinho – Zona Sul), Bar do Vito (Ravióli – Zona Leste), Bar dos Cornos (Batata assada – Zona Oeste), Boteco Boêmios (Caldinho de feijão – Centro) e Tiro Liro (Cestinha de bacalhau – Zona Oeste).

A seleção de bares participantes da etapa paulistana do Comida di Buteco contempla influências gastronômicas de diferentes países e regiões brasileiras, como italianos, japoneses, alemães, portugueses, nordestinos, mineiros, entre outros, evidenciando a riqueza cultural de São Paulo. A escolha dos botecos foi feita pela organização do concurso, representada pelo gastrônomo Eduardo Maya, que realizou uma pesquisa de campo em mais de 200 estabelecimentos.

Dinâmica

Em 2012, o Comida di Buteco foi dividido em duas etapas. As 15 cidades que já faziam parte do circuito nacional deram partida no concurso em 13 de abril: Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Belém (PA), Campinas (SP), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Ipatinga (MG), Juiz de Fora (MG), Manaus (AM), Montes Claros (MG), Poços de Caldas (MG), Ribeirão Preto (SP), Rio Preto (SP), Salvador (BA) e Uberlândia (MG).

Em São Paulo (SP), na sua primeira edição, o Comida di Buteco acontece em data especial: de 1º de junho a 1º de julho. Outra particularidade da etapa na metrópole é que os bares não precisaram criar um tira-gosto inédito, como acontece nos outros locais. Alguns escolheram petiscos que fazem sucesso entre a clientela, outros optaram por desenvolver receitas novas.

Para eleger os melhores botecos paulistanos, o público e um corpo de 50 jurados percorrem os concorrentes e avaliam com notas de 0 a 10 o tira-gosto, a higiene do local, o atendimento e a temperatura da bebida. O peso do júri e do público é de 50% cada.

Premiação

Em São Paulo, os vencedores serão anunciados na Festa da Premiação, evento fechado para convidados e imprensa no Mercado Municipal previsto para meados de julho. A apuração dos votos ficará sob responsabilidade da Vox Populi.

Todos os botecos recebem um registro de participação no concurso e os cinco primeiros colocados são premiados com troféus, além do título de melhor boteco da cidade. Os dez últimos da lista são desclassificados e ficam de fora da edição seguinte, para permitir uma rotatividade entre os participantes.

Além da premiação oficial, os donos dos bares com melhor classificação concorrem a prêmios oferecidos pelos patrocinadores do Comida di Buteco. A marca Hellmann’s premia três concorrentes que utilizarem maionese espontaneamente em seus petiscos e se classificarem entre os melhores do ranking. Os vencedores recebem a quantia de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil pelo primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente.

A Pepsico, fabricante do Doritos, premia com R$ 5 mil o vencedor do Desafio Doritos, uma eleição paralela de um segundo tira-gosto que precisa ter o salgadinho na receita. A adesão dos botecos ao Desafio é espontânea e a escolha do melhor petisco é feita pelo júri do Comida di Buteco.

A primeira edição do Comida di Buteco em São Paulo conta com o patrocínio da Hellmann’s, Pepsico, Orloff e Azeite Gallo; promoção da Globo São Paulo; apoio do Sebrae-SP, Divirta-se/Estado de S. Paulo, Estácio, São Geraldo/Gontijo, Philip Morris e Abrasel; Apuração: Vox Populi.

Histórico

O Comida di Buteco foi criado em Belo Horizonte no ano 2000. Desde então, tem se destacado pela valorização da culinária de raiz, capacidade de atrair turistas de vários lugares do país e exterior, além de geração de empregos e fomento à sustentabilidade dos estabelecimentos que participam do concurso. Em 2011, o evento atraiu um público total de 2,3 milhões de pessoas, sendo pelo menos 27 mil turistas. Os 329 botecos participantes venderam mais de 260 mil tira-gostos concorrentes e contabilizaram mais de 320 mil votos. Com a entrada da maior cidade brasileira no circuito este ano, a expectativa é que as estatísticas cresçam significativamente.

Serviço:
Comida di Buteco São Paulo 2012
Data: 1º de junho a 1º de julho
Informações gerais: www.comidadibuteco.com.br
Twitter: @_comidadibuteco
Facebook: https://www.facebook.com/comidadibuteco

Fonte: Luciana Ribeiro
luciana.ribeiro@idearia.com.br

(11) 3061-3121
(11) 8884-3636

Data de publicação: 21/06/2012

 

1 Comentário para Bolinhos e carnes são apostas da maioria dos bares no Comida di Buteco em São Paulo

  1. Mary disse:

    Qual foi a colocação do “A Lapinha” no concurso Comida di Buteco?
    Obrigada e parabéns à todos os concorrentes.

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias