São muitas as razões para você emagrecer com saúde:

• Você se sente mais bem disposto, capaz de fazer muito mais coisas, ter mais ânimo para sair, trabalhar, namorar, cuidar dos filhos… e até arriscar coisas novas na vida;

• Sua vida, além de melhor, dura mais: as chances de você viver ativo e feliz aumentam muito;

• Um infarto, que é o alerta do destino para você se cuidar mais, pode, de certa forma, lhe fazer bem: você vai prestar mais atenção ao que come, vai fazer exercício, parar de fumar – é uma forma de amor a você mesmo e a quem você ama também.

• Com os cuidados certos, você evita depressão, angústia, fica mais leve em todos os sentidos;

• Pode aprender a dançar, a fazer um esporte novo, a brincar com os filhos ou netos.

O que tem no seu prato?

Cláudia Marcílio, Nutricionista de Pesquisa Especialista em Prevenção Cardiovascular, aprendeu que negociar é a melhor forma de lidar com os desejos e a necessidade de manter ou recuperar o peso saudável. Fundamental é você adaptar sua dieta ao local onde trabalha, ao que tem por perto – sem sofrimento, a reeducação alimentar acontece naturalmente. E, do sujeito que achava que um infarto era o fim do sabor na mesa, ela vê reflorir alguém que aprendeu a comer e a gostar do que faz.

Como funciona a reeducação alimentar?

Cláudia – O primeiro passo é conhecer o estilo de vida do paciente e registrar os seus hábitos alimentares de rotina e finais de semana. Solicito para que me informe em detalhes, por refeição que realiza, o que consome (leite integral ou desnatado?), onde come (em casa ou no trabalho?), quanto come (1 pãozinho francês), qual o intervalo entre as refeições? De que opções dispõe para se alimentar fora de casa (restaurante, lanchonete etc.) … assim por diante. É fundamental neste primeiro contato ser minucioso, para posteriormente planejarmos “juntos”uma alimentação saudável que se adapte perfeitamente à rotina do paciente.

Os pacientes têm medo de se abrir?

Cláudia – No começo, sim, mas logo entendem que não estou ali para criticar, e, sim, para ensinar a comer, manter um peso saudável, ter saúde, usando coisas de que eles gostam, com as quais estão habituados e, o mais importante, o que é acessível para eles. Eu pergunto: o que tem na lanchonete da fábrica? O café já vem adoçado? Tem adoçante lá? Tem barra de cereais? Só tem presunto ou tem peito de peru?

E funciona? A pessoa se reeduca e atinge seus objetivos? Cláudia – Se ela se disciplinar, aprender a jogar com a combinação de alimentos, a respeitar horários, funciona, claro. Não pode é ficar mais de quatro horas sem comer, tem de ter um equilíbrio no fracionamento das refeições, respeitar o corpo. Fazer algum tipo de atividade física também é fundamental.

Um programa básico de reeducação alimentar é bem mais simples do que parece, e, com leves mudanças, sua vida já vira outra:

• Faça, no mínimo, três refeições completas por dia;

• Procure comer menos em cada refeição, em intervalos menores;

• Prefira alimentos integrais, mais saudáveis e que dão a sensação de saciedade, ou seja, você precisa comer menor quantidade;

Fonte: Livro Comida que cuida 3

Data de publicação: 11/03/2010

 

2 Comentários para A educação alimentar mostra como emagrecer com saúde

  1. Gislaine santo conceinçao disse:

    Muito obrigado

    • maria aparecida disse:

      tenho diabetes do tipo 2 tomo insulina , ela esta controlada de manha esta 88, 77, 91, mas a noite as 22h ela esta alta 209 ,196 o que posso comer no jantar , pois o meu costume eh um lanche com pao intehral obrigada —

Insira seu email no campo abaixo para receber nossas dicas e notícias

Insira seu email no campo abaixo para
receber nossas dicas e notícias